terça-feira, 6 de agosto de 2013

AFINAL, O PROBLEMA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA É A FALTA DE VERBAS OU MÁ GESTÃO?




AFINAL, O PROBLEMA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA É A FALTA DE VERBAS OU MÁ GESTÃO?
                Sempre se vê, por toda a parte, a defesa de mais verbas para a educação. Parece, mesmo, que com mais verbas, poderíamos equipar melhor as escolas e pagar melhor os professores, melhorando, ao cabo, os resultados da educação brasileira. Há, no Congresso Nacional, uma lei que determina a destinação de 10% do PIB para a educação, uma outra, determina que o dinheiro do pré-sal seja inteiramente destinado à educação.
                Contudo, uma pergunta deve ser feita: SE O PROBLEMA DA EDUCAÇÃO NÃO FOR FALTA DE VERBAS, O AUMENTO DA VERBA NÃO IRÁ PIORAR O SISTEMA TODO? Não é verdade que mais dinheiro para um sistema corrupto aumenta a corrupção? Da mesma forma, não seria também verdade que mais dinheiro para um sistema ineficiente aumenta sua ineficiência?
                Por tudo isso, antes de se falar em AUMENTO DA VERBA PARA A EDUCAÇÃO, devemos nos ocupar das CAUSAS DA INEFICIÊNCIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA.
                Em um primeiro ataque à questão, é importante fazer um comparativo entre o gasto do Brasil com educação e o gasto de  nações que experimentaram rápido desenvolvimento educacional em tempos recentes. Veja o gráfico abaixo:

Investimento em educação – percentual do PIB – média de 1970 -2012


Fonte: UNESCO

COMENTANDO OS DADOS DO GRÁFICO:
1 – O Brasil já gasta NO PRESENTE mais em educação que a maioria dos países desenvolvidos. Efetivamente, só fica um pouco atrás da Inglaterra (também dos EUA e EU);
2- Duplicar o gasto em educação (meta visada pela legislação emergente), passando dos atuais 5% do PIB para os 10 % do PIB tornará o BRASIL o primeiro do mundo em gastos com educação;
3- Mas se o Brasil já gasta hoje mais que os países desenvolvidos, então não parece ser mesmo a verba o problema da educação brasileira;
4- Compare, por exemplo,  o gasto da Coréia do Sul (3,8% do PIB). É muito inferior ao brasileiro (5% do PIB) e a qualidade de sua educação é infinitamente superior;

CONCLUINDO:
Os dados acima apresentados são da UNESCO e parecem não deixar dúvida: a baixa qualidade da educação brasileira não é uma questão de falta de VERBA, pois países com investimentos educacionais nitidamente inferiores têm uma qualidade educacional muito superior à brasileira.
Não sendo, pois, o problema da educação brasileira uma questão de insuficiência de verba, duas questões se apresentam: primeiro,  aumentar a verba, vai aumentar a ineficiência, pois os indivíduos que se beneficiam do atual quadro, terão aumentado seu poder para impor a manutenção do atual sistema. Segundo, a pergunta que não cala: não sendo a carência de recursos, qual seria, então, a principal causa da nossa ineficiência educacional? Arrisco-me, sem muito medo de erro, a apontar as três principais causas de nossa indigência educacional:
1 – FALTA DE MERITOCRACIA: sistema de promoção do aluno avesso a testes conclusivos;
2 – FALTA DE DISCIPLINA: a escola e o professor perderam a capacidade de determinar as condutas aceitáveis;
3 – FALTA DE PREPARAÇÃO DO DOCENTE: o docente raramente é avaliado, testado e estimulado a melhorar de suas capacitações.

Cada um desses fatores será objeto de um post futuro, onde detalharei como travam o desempenho da educação brasileira.










5 comentários:

Divina Jardim disse...

O professor José Arthur Giannotti assim se referiu aos jovens que foram às ruas pedir mais dinheiro para o setor: “Pleiteiam mais verbas sem se dar conta da podridão do sistema. Mais do que verbas, é urgente uma completa revisão das instituições educativas vigentes. A começar pela reeducação dos educadores, que, na maioria das vezes, ignoram o que estão a ensinar” (“O Estado de S. Paulo”, 19/6/2013).

Divina Jardim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
edsonmoreira disse...

Obrigado por seu comentário, Divina. Realmente, não se vai construir uma cultura superior de baixo para cima. A tragédia da educação brasileira é que querem "universalizar" a educação sem criar antes uma elite intelectual preparada. Aí temos essa situação: gente mal preparada instruindo os educandos. Sem uma cultura superior por referência, as novas gerações se formam cada vez mais limitadas. É o que se vê hoje.

Luz13 disse...

EDUCAÇÃO ESCOLAR NO MUNDO: DESAFIOS GLOBAIS - Palestrante ELIANE MACIEL
UMA LIÇÃO DE VIDA, SABEDORIA E INDIGNAÇÃO NA MEDIDA CERTA.
VALE A PENA ASSISTIR ATÉ O FINAL E DIVULGAR.
http://www.youtube.com/watch?v=ESfOD3YFEDg&feature=youtu.be

prof. Ailton disse...

prof. Ailton;
O que a maioria dos nossos políticos, esquecem , é que eles um dia também passaram por uma escola, e se existe tanto dinheiro nesse meio, pode ter certeza que a corrupção e o desvio de verbas da educação é maior ainda...